UFSC » PROPLAN
Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento

Plano de Desenvolvimento Institucional da UFSC – PDI 2015-2019
Publicado em 05/09/2014 às 9:31

Convidamos toda a Comunidade Universitária a participar da Abertura da Consulta Pública do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UFSC para o período de 2015 a 2019.

O evento ocorrerá na próxima segunda-feira, dia 08 de setembro, às 18:30hs no Auditório da Reitoria.

Solicitamos a todos que transmitam o convite, pois a participação da Comunidade Universitária é essencial para o aperfeiçoamento da UFSC.

O Plano de Desenvolvimento Institucional é um instrumento de gestão que norteia o caminho a ser seguido pela universidade num período de cinco anos. Trata-se de um documento obrigatório, exigido pelo Ministério da Educação, para avaliação da instituição e de todos os cursos. O PDI é constituído pela filosofia de trabalho, pela declaração da missão, visão e perfil institucional, pelas orientações para as diretrizes pedagógicas, pelas atividades acadêmicas e pela infraestrutura da instituição.

No PDI encontra-se o Projeto Pedagógico Institucional (PPI), importante peça que representa a linha pedagógica e política que a instituição adota e norteia o gerenciamento dos seus cursos de graduação e pós-graduação, além das atividades pesquisa, extensão, cultura, artes e esportes.

A minuta inicial do PDI, referente ao período de 2015 a 2019, foi elaborada por uma Comissão, nomeada e designada para este fim. Porém, após discussões envolvendo toda a comunidade universitária este documento será aprimorado e apresentado ao Conselho Universitário, de forma que, ao final de 2014, já tenhamos um novo PDI da UFSC.

A Consulta Pública ficará aberta no período de 08 de setembro a 10 de outubro.

A minuta do PDI e as orientações para o envio de sugestões estarão disponíveis no site do Departamento de Planejamento e Gestão da Informação – DPGI –  http://dpgi.proplan.ufsc.br/

 

Venha participar da Consulta Pública e contribuir para o êxito do planejamento da UFSC e construção do PDI 2015-2019.

Apresentação Audiência Pública sobre segurança na UFSC
Publicado em 20/05/2014 às 8:11

http://noticiasdagestao.paginas.ufsc.br/files/2014/05/audiencia-publica-seguran%C3%A7a_04.pdf

Comissão divulga primeiro relatório do Plano de Logística Sustentável da UFSC
Publicado em 21/02/2014 às 11:33

A Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável (CGPLS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou o primeiro relatório do Plano de Logística Sustentável (PLS). O documento concentra informações acerca da situação atual da Universidade, divididas em seis áreas temáticas: resíduos sólidos; compras e contratações sustentáveis; qualidade de vida no ambiente de trabalho; energia; água e esgoto e deslocamento de pessoal com foco na redução de gastos e emissões. Além de um diagnóstico atual, o material oferece propostas de melhorias e estabelece metas direcionadas aos setores responsáveis.

Esse é o primeiro relatório da UFSC que retrata a realidade da sustentabilidade na Universidade. A presidente da comissão, Anna Cecília Petrassi, destaca que o material é pioneiro por propor metas. “A publicação deste documento é um ponto de partida, um referencial para que o tema da sustentabilidade entre definitivamente na gestão universitária”, explica.

A realização do plano foi impulsionada por demandas do governo federal. A Administração Central da UFSC seguiu uma instrução normativa do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) e constituiu a comissão gestora especificamente para elaborar o PLS.

Abrangência

Uma característica importante do PLS, destacada por Ariane Laurenti, assessora de Gestão Socioambiental que também participa da CGPLS, é a dimensão dada pelo material para o tema da sustentabilidade. “De modo geral, a sustentabilidade tem sido quase que exclusivamente enfrentada pela sua vertente econômica. A comissão buscou ampliar essa visão propondo ações voltadas para o bem-estar e para a saúde da comunidade universitária”, explica Laurenti, que também atua como professora do Departamento de Patologia da UFSC.

Acompanhamento de ações

A expectativa da comissão é que o relatório gere uma movimentação da comunidade acadêmica para a criação de soluções e tecnologias voltadas ao uso responsável de recursos naturais. Petrassi afirma que muitos dados levantados pela comissão precisam ser estudados mais profundamente. “O que de fato acreditamos é que não deveríamos aguardar a realização desses estudos para que ações fossem propostas, mas enfatizamos a realização destes para que tenhamos informações cada vez mais fiéis da realidade e possamos avançar para o alcance da Universidade como referência em sustentabilidade”, defende.

A Comissão Gestora foi criada para conceber o relatório do PLS. O acompanhamento das ações, segundo Petrassi, ficará sob responsabilidade de futuras iniciativas. A presidente explica que não se trata de as áreas aderirem ao plano, mas de implantarem mudanças e colherem os resultados. “O acompanhamento se dará através da melhoria da qualidade de vida proporcionada às pessoas pelo cumprimento das atividades propostas”, ressalta. “As ações foram pensadas com indicadores que, em um primeiro momento, serão o termômetro do sucesso ou falha do que o relatório propõe”, conclui.

Laurenti concorda que o PLS deve ser um estímulo para fomentar ações concretas de sustentabilidade. “A publicação do PLS deverá ser um elemento de provocação para que a UFSC saia da retórica e parta para a ação. Talvez uma grande oportunidade imediata, se não a maior, seja a definição do novo Plano Diretor da UFSC, cujo processo está em vias de ser deflagrado através de amplo debate na instituição”, sugere a assessora.

Próximo passo

Após essa etapa, a Reitoria deve nomear uma comissão permanente que se comprometa a definir as melhores estratégias para o cumprimento e acompanhamento das ações propostas. Laurenti destaca que, independentemente da instituição de uma comissão permanente, é importante que a comunidade universitária sinta-se provocada pelo Plano e busque adequar as proposições à realidade dos locais de trabalho.

A assessora complementa que cada setor da UFSC deve repensar a sua prática cotidiana. “Devemos lembrar que, como dito no relatório do PLS, as políticas podem partir de cima para baixo, mas a solicitação de coerência delas parte de baixo para cima”, finaliza.

Exemplo

Segundo Laurenti, é preciso que ocorram iniciativas para a implantação de ações sustentáveis, porém, com gestão estratégica integrada. “É preciso que distorções sejam corrigidas em práticas de cunho sustentável desenvolvidas na UFSC, mesmo que a princípio essas correções possam gerar alguma resistência”, explica.

Um exemplo citado pela assessora foi a iniciativa de reconsiderar o projeto de compostagem da UFSC. Ela explica que foi preciso repensar o projeto tanto devido à necessidade de mudança da localização do pátio de compostagem – em virtude da expansão física da instituição – quanto por questões ambientais. “A segunda questão era seguramente aquela que implicava, principalmente pela proximidade da atividade ao canal hídrico que deságua no Manguezal do Itacorubi, tanto no agravamento do impacto ambiental ao Manguezal quanto em possíveis multas ambientais originadas no órgão fiscalizador estadual e notificações do Ministério Público Federal. Então, quando se fala em ações sustentáveis com gestão estratégica integrada está se falando que não adianta promover uma prática sustentável se o procedimento para tal é ineficaz ambiental e legalmente, o que a tornará insustentável ambiental e socialmente” concluiu a professora.

A solução da compostagem, ainda em desenvolvimento, veio com a institucionalização do projeto, financiado pela Administração Central, e com a formação de uma comissão, com representantes da Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento, Gestão Ambiental e Prefeitura Universitária, além de professores e estudantes diretamente envolvidos com o projeto e membros de centros de ensino interessados no deslocamento do atual pátio de compostagem.

A comissão investiu em tratativas com a Companhia Melhoramentos da Capital (COMCAP), para ampliar o convênio de colaboração técnica que a instituição já celebrava com a UFSC. “A melhor proposta seria aprofundar e profissionalizar os termos do convênio com a COMCAP para gerar uma gestão compartilhada dos resíduos, na qual a UFSC continuaria com a responsabilidade de apoio técnico e científico do tratamento e a COMCAP passará a realizar a coleta dos resíduos orgânicos da UFSC e o acondicionamento deles em uma área adequada ambientalmente”, esclarece Laurenti.

Pensamos que o mesmo pode acontecer em todos os setores da UFSC que, por iniciativa própria e com o fomento da administração, possam introduzir no cotidiano de nossa UFSC novos objetivos e novas práticas em consonância com a sustentabilidade, a transparência e a lisura administrativa”, conclui a assessora.

Mais informações:
Site do Plano de Logística Sustentável
(48) 3721-4887/4097

Fazenda Experimental da Ressacada, Moradia Estudantil e Restaurante Universitário passam por obras em 2014
Publicado em 21/02/2014 às 11:31

A volta às aulas está prevista para março, mas as obras nos espaços da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em Florianópolis já começaram. O Departamento de Fiscalização de Obras (DFO), vinculado à Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento (Proplan), expediu 13 ordens de serviço para 2014 entre os meses de outubro de 2013 e janeiro de 2014. A Moradia Estudantil, o Restaurante Universitário (RU) e a Fazenda Experimental da Ressacada foram contemplados por esse pacote de obras que soma R$ 66.310.763,57.

Estão previstas a recuperação e a ampliação da rede de drenagem da Fazenda Experimental da Ressacada do Centro de Ciências Agrárias (CCA), localizada no bairro Tapera, juntamente com a ampliação de açudes e a construção de comportas. O sistema para irrigação do espaço será criado e a Fazenda receberá, ainda, uma subestação de energia de distribuição de baixa e média tensão, com a devida infraestrutura. A base de telecomunicações e o circuito fechado de TV do local deverão ser providenciados em 240 dias a partir do início da obra.

De acordo com o diretor do DFO, Rodrigo Bossle Fagundes, as ordens de serviço referentes à infraestrutura elétrica e ao manejo de águas da Fazenda Experimental da Ressacada foram suspensas devido ao atraso na definição, por parte do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), das extremas do terreno, em virtude das obras do Aeroporto Internacional de Florianópolis, Hercílio Luz, no bairro Carianos. O diretor do Departamento de Projetos de Arquitetura e Engenharia (DPAE), Elias Sebastião de Andrade, informa que os trabalhos não podem ser iniciados antes da conclusão desta primeira etapa.

Segundo o chefe da Divisão de Gestão da Informação do DPAE e responsável pela regularização fundiária e predial e aprovação de projetos da UFSC, Ricardo César dos Passos, a previsão é de que a situação seja revertida nos próximos dias. “O Deinfra informou que a demarcação da faixa de domínio da rodovia deve reiniciar na próxima segunda-feira. A realização do serviço depende das condições do tempo e deve durar cerca de dois dias”, explica. O diretor do DFO esclarece que serão expedidas novas ordens de serviço tão logo aconteça a definição das extremas do terreno.

RU e Moradia Estudantil

O Restaurante Universitário (RU), na Trindade, também foi contemplado com piso de alta resistência na área de carga e descarga e com serviços diversos na cozinha. Os trabalhos foram finalizados no início do mês de fevereiro.

De acordo com a diretora do RU, Beatriz Conedera Martinelli, foi realizado o levantamento das necessidades do local no final de 2012. Em 2013, foram feitas pintura e reposição de piso dentro da cozinha, que apresentava problemas. As obras foram executadas em períodos de férias ou de recesso. Os setores de preparação das carnes, das sobremesas e das saladas também passaram por reformulações, com a retirada das paredes que existiam entre eles. Segundo Beatriz, essa era uma reivindicação dos funcionários.

A pintura é uma exigência da Vigilância Sanitária para renovação do alvará de funcionamento. “Janeiro deste ano foi o período em que conseguimos fazer mais coisas. Adequamos o piso às necessidades do RU no setor de carga e descarga. Ampliamos o tanque de lavação de frutas, que era pequeno, fizemos a pintura interna de quase todos os setores e também foi feito um serviço de colocação de grades separando um setor do outro, para dar melhor escoamento às águas. Esse tipo de obra é feito pensando em melhorar a qualidade de vida no trabalho”, esclarece.

Outra demanda que será atendida neste pacote de obras até o mês de maio é a construção do reservatório de água da Moradia Estudantil, com área de 279 m², localizada na Trindade. Segundo o diretor do DFO, a medida que forem sendo concluídos, esses novos espaços físicos, construídos e reformados, irão contribuir para melhorar o atendimento à comunidade universitária nas atividades de ensino, pesquisa e extensão. As obras no Restaurante Universitário (RU) e na Moradia Estudantil somam R$ 358.372,82.

DFO emite 13 ordens de serviço para obras na UFSC nos últimos quatro meses
Publicado em 21/02/2014 às 11:27

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) começou o ano com obras e reformas em diversos espaços. Entre os meses de outubro e janeiro, o Departamento de Fiscalização de Obras (DFO), vinculado à Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento (Proplan), expediu 13 ordens de serviço para 2014, que somam R$ 66.310.763,57. Algumas atendem a demandas antigas da Universidade. Construção de laboratórios, reforma de prédios e de banheiros, ampliação de rede de drenagem e construção de novos blocos de salas de aula são algumas das ações que serão executadas.

O Centro de Ciências Biológicas (CCB) receberá os novos Blocos E, F e G de salas de aula e também uma subestação de 3500 KVA. A previsão é que o serviço seja entregue em dezembro de 2016. O diretor do DFO, Rodrigo Bossle Fagundes, afirma que, atualmente, esta é a obra de maior complexidade em execução na UFSC.

“Em virtude do volume de serviço e do grau de detalhamento, ela necessita de uma atenção maior, de fiscalização incisiva – tanto é que, para essa obra, foram designados dois fiscais civis e um eletricista, uma equipe de fiscalização maior. A maior que tínhamos feito foi o Restaurante Universitário. A obra do CCB é de mais de R$ 40 milhões, com dois blocos de oito pavimentos e um de quatro pavimentos”, explica. De acordo com o diretor do DFO, 11 das 13 ordens de serviço já foram iniciadas.

Obras em cinco centros

Uma demanda antiga que deve ser solucionada até o final de março é a reforma do Centro de Esterilização das Clínicas Odontológicas do Centro de Ciências da Saúde (CCS). De acordo com a coordenadora do Curso de Odontologia da UFSC, Ana Maria Hecke Alves, o prédio é antigo e precisa de reformas. “São 30 anos. Esta é uma primeira parte da demanda. Na nossa Central de Esterilização havia várias especificações da Vigilância Sanitária que não estavam sendo atendidas. Na segunda parte, acontecerá a reforma das clínicas, das salas de professores e dos laboratórios. A boa notícia é que já começou. Foi uma luta”, desabafa.

Os espaços físicos do Centro de Comunicação e Expressão (CCE) também serão reformados. Os trabalhos começaram no dia 7 de janeiro e seguem até 20 de fevereiro. A recuperação da cobertura do átrio do Curso de Jornalismo era uma reclamação antiga de professores e chefes de departamento. “Com o tempo e a falta de manutenção, as estruturas de ferro corroeram e estavam ameaçando cair. A gente está feliz porque é uma reivindicação antiga, importante do ponto de vista funcional porque protege os alunos e as entradas das salas nos dias de chuva. Elas proporcionam umas das poucas áreas de convivência que temos aqui e, de fato, apresentava um risco às pessoas” explica o chefe de Departamento de Jornalismo, Carlos Locatelli.

O passeio público localizado em frente ao Bloco A também está sendo refeito, informa o diretor em exercício do CCE, Arnoldo Debatin. Ele explica que a obra visa à acessibilidade ao local e atende às recomendações da NBR 9050.

“Onde havia algum tipo de degrau, este foi eliminado. O trabalho foi executado como se fosse uma rampa; não haverá nenhum obstáculo a cadeirantes e os deficientes visuais contarão com piso podotátil. Além disso, haverá a reforma da cobertura de policarbonato que fica no pátio interno do Jornalismo. Assim, preservam-se as áreas de circulação que são externas e evitam-se a chuva e o sol. Isso tudo soma na qualidade do ensino”, afirma Arnoldo.

O Bloco I do Centro de Ciências Físicas e Matemáticas (CFM) receberá pavimentação e drenagem pluvial. A obra começou em janeiro e segue até maio. Na sequência, em julho, a obra doCampus Curitibanos deverá ser concluída. Trata-se da construção do galpão de apoio à produção vegetal, em uma área de 1.273,28 m². A Prumo Engenharia Construções Ltda. executa o serviço desde o dia 25 de novembro de 2013.

Outras demandas que estão entre as ordens de serviço para 2014 são referentes ao Centro Tecnológico (CTC). Entre elas, a reforma dos banheiros e a remoção dos revestimentos cerâmicos do prédio do Departamento de Informática e Estatística (INE), a reforma de banheiros do pavimento térreo do Bloco A e o fechamento de uma área próxima ao prédio da Engenharia Civil. As rampas do Bloco de Ligação A, que permitem o acesso aos prédios do CTC, também passarão por adequação. A obra deverá ser realizada em 60 dias corridos, com expectativa de término em março.

Até o dia 28 de dezembro deste ano, os laboratórios de ensino e pesquisa que serão utilizados pelos cursos de Geologia e Oceanografia devem ser entregues, assim como os núcleos de apoio para o Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH). Esta é a previsão estabelecida na ordem de serviço despachada pelo DFO em 25 de outubro de 2013. A obra deverá ser executada em 420 dias corridos. Além disso, ainda está programado o reforço da laje com estrutura metálica da Sala de Leitura José Saramago e da sala de professores do CFH, que deve ser finalizado no mês de abril.

A subestação de energia da Fazenda Experimental da Ressacada do Centro de Ciências Agrárias (CCA) também está contemplada entre as ordens de serviço expedidas no período, assim como o reservatório de água da Moradia Estudantil e a colocação de piso de alta resistência na área de carga e descarga no Restaurante Universitário (RU).

Serviços em fase de contratação e obras realizadas no segundo semestre de 2013

Rodrigo Bossle informa que ainda estão em fase de contratação – com previsão de início em fevereiro – a construção da infraestrutura e dos complementos da pista de atletismo do Centro de Desportos (CDS), no valor de R$ 4.222.263,12, e a construção do bezerreiro da Fazenda Experimental da Ressacada, na ordem de R$ 183.564,84.

As obras para construção do Manejo de Gado de Corte da Fazenda Ressacada, dos laboratórios de pesquisa do Sistema Integrado de Biotecnologia e Biociências (Sibiotec) do CCB (primeira etapa), das salas de aula e laboratórios de ensino do CCE, do Bloco Administrativo, para instalação de elevador no Bloco 29 do CFM, para conclusão do prédio da Administração Central do CDS e dos Blocos 2 e 3 do Centro de Engenharias de Mobilidade (CEM) do campus Joinville (Etapa I) foram iniciadas no segundo semestre de 2013 e somam R$ 31.237.923,01. O engenheiro Rodrigo explica que parte dessas obras faz parte do pacote do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni).

Para acompanhar as obras, conferir os registros fotográficos e obter outras informações, acesse www.dfo.ufsc.br.

Confira abaixo a galeria de fotos das obras no CCB, CCS, CCE, CFM, CTC e CFM:

  • 1960 - 2010 - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) | Central Telefônica - (48) 3721-9000
  • Última atualização do site foi em 05 de setembro 2014 - 9:34:08